BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates

Teatro em Lisboa – A pior comédia do Mundo

E se de repente a porta dos bastidores se abrisse e o espectador tivesse acesso ao que por lá se passa? Um olhar alucinante sobre o teatro e as loucuras e devaneios dos que o fazem, cujas tendências para crises descontroladas de ego e falhas de memória transformam cada atuação numa verdadeira aventura de alto risco. Em cena até 27 de janeiro de 2018 no Teatro Trindade, em Lisboa.

A PIOR COMÉDIA DO MUNDO não é só uma peça, mas, simultaneamente, um espetáculo de comédia e o drama de bastidores que se vive durante a sua preparação. Através de três momentos chave o ensaio geral, a noite de estreia e um espetáculo no fim de uma atribulada digressão acompanhamos a crescente tensão entre os membros de um elenco à beira de um colapso nervoso coletivo. Uma deliciosa farsa de bastidores, com exultantes momentos de comédia. O original, NOISES OFF, foi levado pela primeira vez a cena em 1982, em Londres. Da autoria do multinomeado e vencedor de um Tony, Michael Frayn, é considerado por muitos críticos como o melhor texto de comédia escrito no século XX.

Desde a sua estreia até à atualidade, contou com inúmeras reposições nas mais prestigiadas salas do mundo do West End à Broadway. Foi nomeada para o Tony de Melhor Espetáculo de Comédia e recebeu os prémios Evening Standard e Olivier, na mesma categoria, entre outras distinções.

FICHA ARTÍSTICA
Texto: Michael Frayn
Tradução: Ana Sampaio
Encenação: Fernando Gomes
Com: Ana Cloe, Cristóvão Campos, Elsa Galvão, Fernando Gomes, Inês Aires
Pereira, Jorge Mourato, José Pedro Gomes, Paula Só e Samuel Alves
Cenografia: Eric da Costa
Música: Filipe Melo e Nuno Rafael
Figurinos: José António Tenente
Desenho de Luz: Luís Duarte
Coprodução: Teatro da Trindade INATEL e Força de Produção
Apoio: Associação Mutualista Montepio

Compre bilhete AQUI.

Check Also

Lisboa lidera tendências no Mercado Imobiliário para 2019

Emerging Trends in Real Estate® Europe é um estudo conjunto da PwC e do Urban ...